eSports é ou não é esporte

Marco Túlio 2017-05-12 12:53:08

A discussão dos e-sports serem ou não esportes é recorrente e com opiniões divergentes. Então, esse não é um espaço para verdades absolutas e muito menos com a intenção de fazer a cabeça das pessoas. Ele serve para mostar que os esportes eletrônicos, não recebem esse nome atoa, é coisa muito séria para muito gente e é sim, um mundo imenso.

Image and video hosting by TinyPic

Público, marketing e negócio.

Uma pesquisa da empresa Newzoo, especializada em estudos sobre games e tecnologia, informou que 15% das pessoas entre 21 e 35 anos assistem a competições pelo menos uma vez por mês e entre os homens, na mesma faixa etária, o índice é de 22%.

A pesquisa apontou um público total de 191 milhões de pessoas consideradas entusiastas dos e-Sports, além de 194 milhões de espectadores casuais. Um número bastante relevante, não é? Mais ainda se trouxermos para o público brasileiro que, segundo esse mesmo estudo, é o terceiro maior do mundo com 11, 4 milhões de espectadores. O valor que todo esse mercado movimenta? Em 2016, foram 2,8 bilhões de reais e a expectativa é de crescimento exponencial.

Nesse contexto, é relevante notar, que a maioria desse público são jovens das classes A, B e C, com energia, tempo e dinheiro para esse mercado. Tanto que o levantamento da Newzoo apontou que, para 76% dos entusiastas, os torneios de e-sports estão substituindo o tempo em que assistiam a esportes convencionais.

Sobre o assunto, Chris Weil, diretor da mundialmente conhecida agência Momentum Worldwide destacou. "A indústria é enorme e deve ser tratada com o mesmo respeito que você trata uma liga de futebol. O lado competitivo dos jogos vai ultrapassar os principais esportes em poucos anos e as marcas precisam estar prontas para se tornarem parte disso”.

Atletas e preparação

Os esportes eletrônicos utilizam muito mais a mente que o corpo? Sim, mas isso não o descaracteriza de ser um esporte. Primeiro porque como em qualquer outro esporte, a mente e corpo trabalham juntos, só que, nos e-sports mais mente que corpo. Segundo que, em ambos os casos, os reflexos, a técnica, a tática e talento são essências para o sucesso. Terceiro, que para os atletas, os e-sports seguem o funcionamento em todos os aspectos do esportes tradicionais como treinamento, dedicação, esforço, disciplina e estudo.

O atleta Micael "micaO" Rodrigues da line-up de LOL da INTZ, já deu sua visão sobre o tema. “Nós, jogadores profissionais, fazemos tudo que praticantes de outros esportes fazem, desde uma rotina de treinos até uma alimentação adequada e exercícios para manter o equilíbrio corpo/mente. Sem contar as competições, torcedores e toda a estrutura envolvida nesse meio”.

Já se decidiu?

Não? Não tem problema. Mas saiba que grandes emissoras televisivas como Sportv, ESPN, Esporte Interativo, que tradicionalmente exibiam esportes convencionais agora já estão exibindo os e-sports.

Mais do que isso, os Jogos Asiáticos, segundo maior evento poliesportivo do mundo (atrás somente dos jogos Olímpicos), terá os esportes eletrônicos na lista de modalidades, a partir de 2022. O evento estreia com os e-sports já em 2018, mas como esporte de demonstração, se tornando oficial em 2022.

Notícias Recentes